Pessoas doidas, malucas e críticas! Sendo amigáveis, podem postar comentários!

17 agosto, 2015

A Re-volta do Doidus

Oi gente, Segue mais uma Coisi di Doidus, depois de dois anos sem atualizar esse cemitério: Vieram me perguntar: - Por que és tão revoltado? Tudo porque falo mal de um corpo estragado... Bem, agora eu respondo o que me foi questionado! Andam sempre lado a lado o meu corpo e minha alma. Uma pede movimento e o outro exige calma do calcanhar à cabeça e do ombro até a palma. O último causa trauma quando nele vou pensar pois comparo essa vivência a alguém que vai casar precisando ser fiel e assim mesmo não gostar! Quem ciúmes quer mostrar ou acha que d'outro gosta, cobra a tal fidelidade ou então vem a resposta: se é do corpo, é a dor; nisso a alma já aposta! O que queima, arde e tosta, falarei a vocês, sim, é uma pergunta simples pro verso chegar ao fim: quando é que eu poderei ser um ser fiel a mim?! Reflexivamente, Doidus!

20 agosto, 2013

Deus a Fez pra Mim

Hoje, em pensamentos turbulentos, volto a concentrar-me nela. Ela que foi meu passado, é meu presente e será meu futuro. Sou uma cópia dela. Tenho uma identificação total porque sou a representação física de tudo que ela é. Ela não tem brilho próprio; recebe de um ser maior e muitas vezes ainda transmitida por um segundo ser. Eu, por minha vez, não posso ver o brilho. Recebo de alguém que o está vendo de outra fonte. Ela é curta mas de presença marcante. Eu sou pequeno e barulhento. Ela causa medo e desatinos. Eu não tenho a melhor das aparências físicas e prezo por uma confusão. Ela sabe aconselhar com recordações. Eu, quando recebo a inspiração divina, sei aconselhar com minhas vivências. Ela tem um fim. Eu, por ter natureza humana, também o terei. Ela sempre volta em cópias diversas. Eu, se Deus assim me permitir, voltarei nos meus escritos. Ela oculta uma personalidade frágil e muitas vezes não compreendida até que se adapte as vistas à sua escuridão. Eu oculto um alguém carente que por vezes, talvez até sem intenção, se rebaixa como forma de ser notado ou cria uma máscara de sorridente indestrutível. E por fim...Ela é a noite dos loucos... E eu... um louco da noite! Obrigado Deus por essa companheira fiel! Doidus.

23 julho, 2013

Conceito sobre Acessibilidade

Oi gente! Dupla personalidade chamando. Caso de urgência! Acessível ou Insensível? Hoje ouvi o conteúdo de um blog que, por questões éticas, não citarei aqui, embora por essas horas, os donos já saibam o que penso. Um deles, inclusive, é meu amigo e eu não gostaria que ele levasse uma discussão ideológica pro lado pessoal. O caso é que o blog tem muitos temas interessantes discutidos ali e leva a palavra "acessível" no nome. O fato é que o espaço referido me remeteu à página www.audiogames.net, que tem uma coleção de links para jogos em áudio. Mas são todos estes jogos realmente acessíveis? Bom, para quem ouve sim, mas nem todos têm gráficos associados. Lembrei-me, então, de quando eu jogava Mortal Kombat. O som das fatalities® descrevia pra mim o que acontecia? Não, mas eu sabia a hora em que uma era aplicada por causa da música de suspense e, caso eu quisesse saber os detalhes, leria a descrição em um site do tipo www.gamefaqs.com. O jogo, no entanto, era acessível porque eu conseguia, e ainda consigo, pelo som, saber de onde vêm os adversários. Um Topspeed, jogo de corrida para cegos (como?!) só tem o áudio dos carrinhos e um efeito sonoro no fone de ouvidos pra indicar por onde o carro passa, se ele está perto da beira da pista, etc. Acontece que o jogo não tem gráficos! Um podcast tem como ser acessível? Bom, podcast é um blog falado. Em tese, ele não tem como publicar todo o conteúdo falado, ainda mais com a duração de uma hora, mas o resumo dele, com os dados mais importantes, tem sim! Já imaginaram um surdo lendo que um espaço é acessível e, ao chegar lá, só pudesse ver: Manchete de hoje - fulano explica como fazer um doce de abóbora. Baixe aqui o podcast e ouça! Que tipo de informação ele receberia disso? Migalha? Não é o caminho. Alguns ainda podem me dizer: - Doidus! Você é cego! Pra você isso é acessível! Olha o tanto de coisas das quais você já foi excluído por ser preparado só pra videntes (pessoas que vêem ou enxergam)! Concordo! Mas se quero que uma pessoa que enxerga (e provavelmente algum possa não ouvir) se coloque no meu lugar, por que não me colocar no lugar desta pessoa? E mesmo as que enxergam e ouvem; pra que falar pra elas: - tenta jogar este audiogame aqui, mas você vai perder de ver porque nem gráfico ilustrativo o jogo tem.? Claro que acho que desenvolvedores de software ou interessados em fazer acessibilidade devem, sim, aprender a usar primeiro um computador ou dispositivo móvel sem monitor ligado, sem som, sem as mãos para aprender como é um site que só pode ser acessível se teclando com os pés como no caso de tetraplégicos, etc. Obviamente que um ou dois dos itens por vez. Sem caixa de som e sem monitor é quase impossível a menos que se tenha dinheiro para comprar uma linha Braille, mas sem monitor e sem mouse, por exemplo, ajuda pra ver tanto como seria a acessibilidade de um cego quanto a de um tetraplégico. Claro, aí vai também um exercício de teclar apenas com o dedo dos pés pra ver que legal deve ser uma tela touchscreen para quem não tem como usar esse recurso. Cego ainda usa o touchscreen de um IPhone por causa do VoiceOver, leitor que fala o que aparece, mas e se a coordenação motora dele for ruim? Comprar um teclado a mais pra ser acessível? Então o IPhone não é tão acessível assim... Sou mais meu bom e velho N97 da Nokia. E isso é assim pra todos os campos. Não se deve colocar o rótulo de acessível sem experimentar, gradativamente, todas as deficiências pelo menos por tempo limitado ou simulado... Até mais, Doidus!

03 julho, 2013

Homenagem a Marco Antonio de Queiroz, da Bengala Legal

Oi gente, Hoje minha postagem se justifica, afinal, perdemos um membro importante da nossa comunidade de pessoas com deficiência visual. Acesso Garantido Sendo uma pessoa cega, hoje solto minha voz. Morre um representante do acesso para nós à web, e informações: Marco Antonio de Queiroz. O MAQ, aqui digo a vós, foi pessoa especial. Teve diabetes cedo; descuidou-se afinal, e com seus vinte e um anos, tornou-se um invisual. Antes que agravasse o mal, ele tomou consciência, e da metade pro fim dessa sua existência fez algo bem positivo da sua deficiência! Ele teve paciência para a muitos ensinar sobre acessibilidade na rede, na rua ou lar. Lutando para que todos incluídos possam estar! Feliz devemos ficar por quem merece um troféu. MAQ, eu digo que pra ti, sempre tiro meu chapéu. Sorriam, deficientes; já existe alguém no céu! Se passares pelo véu, aquele do esquecimento, você pode se esquecer de todo teu sofrimento, mas MAQ, nós lembraremos de ti a todo momento! Marco Antonio de Queiroz, você vai deixar saudade, mas digo sem heresia, ou desejo de maldade. Agora lute no céu pela acessibilidade!!! Abraço pra quem gosta mesmo de abraçar! Doidus!

28 maio, 2013

Oi gente, Antes de mais nada, e por escrever uma terceira postagem falando de filhos, gostaria de deixar claro, novamente, que não estou ainda com perspectiva de ser pai, pelo menos, não de um filho feito por mim neste momento. Como eu disse em uma anterior, pode ser que apareça, em algum lugar, alguma criança com características semelhantes às que eu falei, mas não será minha de sangue. Enfim, deixemos de enrolação! Papai ou Bebê Alguém aqui já teve a oportunidade, por vezes até incômoda, de ouvir um casalzinho querendo mostrar que está tudo às mil maravilhas, chamando um ao outro de "meu bebê"? Todo mundo aqui que me conhece sabe que eu sou bem contra esse tipo de melação, preferindo mais um romance selvagem. Não falo que seja adepto de violência, mas do que eu chamaria de sutileza das atitudes imediatas mas que agradam em vez de "palavras pequenas", como já bem diria Cássia Eller. Às vezes, mostrar que protege a pessoa amada, e muito mais para ela do que pro público, faz com que ela se sinta mais como "seu bebê" do que se isso for dito, deixando-a como um objeto, uma idealização. Mas e quando você precisa ser o "bebê", é possível, mesmo tendo sido o pai? Em um telegrama para um amigo descrito pelo MAQ, no seu livro Sopro no Corpo, ele diz: "Filho vai parir pais. Feliz nascimento para vocês." Uma criança, por mais indefesa e frágil que seja, ensina muito a um adulto, imagine um outro adulto, dotado de carências já comunicáveis e ideais diversos dos teus! Às vezes, você é parido e pare também a cada dia. Enquanto cria um laço, que protege e te transforma em um pai zeloso, ganha também sua ligação, que te coloca na qualidade de bebê, indefeso e necessitado de um colo. Sou a favor deste tipo de relacionamento, pois se aprende muito com ele, não só sobre quem é a outra pessoa, mas principalmente quem é você, pois mesmo o relacionamento mais bem sincronizado requer paciência por vezes, pois somos únicos... Infantilmente, Doidus!

23 maio, 2013

Oi Fernando, Não tô fazendo faculdade, mas, acho que por vezes, um pouco de prática no meio da teoria ajuda. O trabalho feito a três era da Lulucka e foi feito junto com o Rafael Carneiro. Nós 3 juntamos idéias pra construirmos um artigo sobre educação infantil. Quanto a ti, não sabia metade do que te aconteceu. E achei interessante o teu comentário; você era um dos que condenava veementemente os suicidas ou a tentativa deles... É interessante como as pessoas precisam perder pra entender certas coisas... De qualquer forma, te desejo melhoras, afinal, Deus tá aí pra quem pede ajuda a ele. Eu, ultimamente, tenho orado: "Senhor, abençoe a _todos_ os seres do universo, dando a cada um o que merece, segundo a vossa vontade e só a vossa, sem interferência de quem quer que seja, até porque o ser humano é impulsivo e pode terminar protegendo criminosos ou atacando inocentes, coisa que o Senhor, que criou a todos, não faz. Amém!" E claro, sempre agradecendo em nome de Jesus por isso, embora como eu coloquei na postagem "Quero alguém no Céu", eu ainda acho que Jesus nasceu com um corpo perfeito demais pra representar, na pele, um deficiente por exemplo, seja de que classe for, ou mesmo, uma pessoa com dores, como no teu caso... Fui! Doidus!

01 abril, 2013

Oi gente! Hoje minha postagem é de agradescimento pelos dias que passei com LiLu, Rafa e Lulucka. Foi uma páscoa bem variada, que teve desde músicas tocadas em conjunto até um churrasco que surpreendeu a todos pelo tanto que eu me revelei comilão! (Não contem isso!) Uma Skypada com o Dhiego, várias sessões de lavação de louça em conjunto e trabalho de faculdade feito a 3 foram algumas das coisas que marcaram esse fim de semana! Valeu mesmo, gente. Nada como convivência empolgada para que o tempo passe de forma a parecer que nem se iniciou! Se Deus quiser, repetiremos a dose em breve, e riremos, brincaremos e falaremos muito sério também, pra mostrar que tudo pode ser feito entre amigos! Agradecidamente, Doidus!