Pessoas doidas, malucas e críticas! Sendo amigáveis, podem postar comentários!

29 janeiro, 2007

Gente! Como faz tempo hem? Mas eu voltei, e pra escrever, afinal... Sou
Doidus até o casamento, digo, até a morte!

Inutilidade... Já!!!

Hoje eu me senti feliz, extremamente feliz. Mas uma felicidade tão vazia,
que preferi nem tê-la sentido. A felicidade terrena, sem
razão, mas tão chamativa; ganhei um dinheirinho e fiz plano com ele. E daí?
Planeja-se, gasta-se, caminha-se por dentro desse
espiral, pra terminar na ponta dele, onde todo mundo fica. E o que se conserva,
quando se chega à ponta desse espiral? É... minha
felicidade até que foi com lógica: graças a essa reflexão, tenho em mim a força
pra gritar: EU AMO MEUS AMIGOS! TODOS! Os
momentos que cada um, individualmente me fez passar, não vão ser
esquecidos. A começar pela minha família:
Quanta alegria, passando a família toda no parquinho, conversando, deslizando
em um barranco de terra com um pedaço de papelão;
quanta alegria, minha irmã e eu cantando em cima da cama as músicas que
ela aprendia na escola; quanta felicidade, meu pai e eu
brincando na praia; Que emoção! Minha mãe me ensinando a primeira
historinha infantil... Depois, foi expandindo, amigos que
passaram, amigos com quem eu assistia desenho e tinha a certeza de saber o
que se passava, mesmo sem enxergar. Amigos que
aprontavam coisas, umas para eu reprovar, outras pra que eu apoiasse e até
participasse! Amigos que faziam brincadeiras enquanto
comíamos chocolate, gravávamos uma mensagem de recordação, e até fazíamos
pseudo-entrevistas. E mais recentemente, duas
pessoas que me ampararam em um momento, onde eu, por minha própria
ansiedade e agressividade, afastava a todos, sem querer.
Quero, nessa mensagem, agradecer a todos, por tudo. Pelos momentos sérios,
pelos momentos palhaços, pela diversão, e pelo
divertimento (vide livro Todos os Nomes e reparem na diferença, aliás, valeu
Karine pelo livro!!!) As amigas de que falo são Marcinha e
Midian. Viram que eu precisava de uma diversão, desviar o pensamento até
que a coisa se acomodasse... E ficaram comigo! Mas é
claro, que todo mundo faz parte de mim, e eu faço parte de todos, inclusive
os amigos que eu bloqueei, porque melhor um amigo
bloqueado do que um inimigo em contato.

Até mais,
Doidus.

1 Comments:

Blogger Parabellum said...

Melhor um amigo bloqueado do que um inimigo em contato, mas... isso é um paradoxo e não há nenhum postulado nesta frase. Assim como nunca fomos verdadeiros amigos, apesar das minhas tentativas todas, também não há uma inimizade e a vida não é só extremos (amigos/inimigos, 8/80, ótimo/péssimo).

Muitas idéias minhas se modificaram, o que é natural do ser humano. Algumas permanecem, e o que é bom ou ruim, ninguém pode saber ao certo até que venha algum fato grande o suficiente para definir isso.

Apenas queria que soubesse que não tenho absolutamente nada contra você, e nem pudera, já que não me fez nada. Que entendo o que causou sua mágoa/ofença em relação a mim, apesar daquela resposta ter sido claramente ditada pela sua mãe, e que eu te vejo como uma pessoa de bem, de bons sentimentos, caráter, moral e respeito. Você é uma pessoa extremamente confiável, capaz de compreender as pessoas, quando as conhece bem, e também sabe ser tão palhaço quanto eu nunca fui, apesar das repetições.

Ocorre que sua postura geral é algo que me incomoda muito, e era justamente isso o que eu queria dizer quando o adicionei com outro contato no MSN. Nenhuma forma de reaproximação. Porque você não o quer, claro, e porque eu me sinto extremamente mal mediante à forma com que você permite que sua vida é conduzida. O que não mudou na minha maneira de pensar, é que o ser humano possui vontade própria. Mesmo os deficientes mentais graves, possuem vontade própria. E talvez uma criança ou um DM grave deva submeter-se, às vezes, e frize-se "às Vezes", à vontade alheia. Mas não sempre. Não quando se trata de um adulto civilmente capaz.
Essa inércia, que gera um desperdício que você não conhece a dimensão, a falta de garra, de vontade de lutar (exceto com relação à saúde, porque nesse aspécto você sabe lutar muito melhor do que eu), a preguiça induzida, a palhaçada constante, também induzida... A justificativa pra tudo no problema ósseo... Tudo isso é absurdo demais, revoltante para quem vê de fora, e assim como a vidente que te conheceu no carnaval de 2003, que também chegou a acreditar em possíveis mudanças (e isso é decorrente de quem acredita no ser humano, apesar de tantos conflitos característico de qualquer ser), me sinto perturbado ao presenciar tal realidade.

Isso tudo não anula suas qualidades, que são muitas e consistentes, não anula sua personalidade, sempre capaz de cativar novos amigos, mesmo que seu conceito de amizade seja o da maioria, que desconhece o real valor de muitas coisas... Essa é a mesma maioria que curte Big Brother e que crucificou Jesus, o que demonstra que maiorias são, se não sempre, na maior parte das vezes, equivocadas.

E com seu lado 8, e seu lado 80, prefiro permanecer longe. Não és um inimigo afastado, mas também não és um amigo bloqueado. Porque isso não existe. E mesmo que eu não fosse o alvo da última frase desse poste, não ignore, porque aí está o ponto final que eu precisava colocar.

3:29 PM

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home