Pessoas doidas, malucas e críticas! Sendo amigáveis, podem postar comentários!

17 novembro, 2007

Galera insana,

Estava eu aqui, no meio de giros mentais, trava-línguas do tipo "sopa fria não tem graça", "entrei em lugar errado, indo comprar laranja lá na Laramara", e "me deparei com três pratos de trigo para três tigres tristes no trigal comendo trigo integral". Quando a cabeça deu nó, ainda apareceram pessoas pra me fazer refletir, sobre "verdades" que julgava. Uma delas foi a Odonata, no comment anterior, a outra foi uma criatura de voz ligeiramente grave, aqui referida por lsd, digo, lds_maluckinha, e a outra, uma amiga já referida tantas vezes por aqui... O fato é que... Nasce uma postagem!!!

Todo x é ou tem y

Título estranho? texto mais ainda! O fato é:
quando a Odonata falou sobre o poema da noite, falando "eles não conhecem a nossa verdade, só a deles!" e agora, no comment "discordo que os opostos se atraem", me veio um paradigma. Por que temos a mania de julgar, e aqui eu falo de mim também, uma situação por fatores ligados a ela? Por exemplo, quando se fala de cego, automaticamente se relaciona com música. E vem a verdade que "todo cego é músico". Mas isso não procede. Precisa-se ver fatores como afinação vocal, ou mesmo, nível de audição do referido deficiente. Continuando nossa analogia, "todo o gordo é lento". Discordo de novo! Minha família conheceu uma criatura que, embora com seus quilinhos a mais, subia em postes, arrumava parte elétrica de estações, e trabalhava inclusive na mesma companhia que meu pai! Mais ainda, a criatura era mulher! O que quebra, também, o paradigma de que "isso é trabalho de homem", "isso é trabalho de mulher", etc. Meu pai mesmo, costurou, e a remédio pro rosto tem a prova na casa dela, um porta-cd de tecido pra dar de presente! E nunca demonstrou tipo algum de tendências homossexuais. Aí vem alguém gesticulando, sozinho, tentando falar algo. "Lá vem aquele débil mental", dizem uns. Não aceito isso! Muitas vezes, o referido é só um surdo que, por não usar da comunicação por leitura labial, tenta, por gestos, se fazer entender! Eu mesmo ontem, me referindo ao erotismo natural impregnado no corpo dos cariocas, soltei um "bote um afegão no Rio de Janeiro, e o sujeito esquece rapidinho quem é Allah!" Quem garante que não existam comportados no RJ? Ou pior, que o afegão em questão, não enlouqueça vendo tanto pecado? Nem na matemática o "todo x tem y" procede. Veja só:
Todo 4 tem 2. Bom, em 4 cabe o número 2? Até cabe... Mas só se não ocupado por um 3, o que daria espaço, depois, só pro número 1! E é aí que eu quero chegar. Nem tudo é como se parece, tendo N, M ou V maneiras de se analisar!!!

Comentativamente,
Doidus!

2 Comments:

Blogger Odonata Anisoptera said...

E no ritmo da música: "...vamos festejar a nossa falta de bom senso...tudo o que é gratuito e feio, tudo o que é 'normal'...", bem interessante seu post. Agora estou na correria e atrasada, volto depois...e vê se passa pelo meu blog, os dois: postante e comentarista assíduo, hehehe...
Abraços!
Odonata.

1:33 PM

 
Blogger Parablind said...

É só o amor, é só o amor
Que conhece o que é verdade.
O amor é bom, não quer o mal.
Não sente inveja, ou se envaidece.
(...)
Estou acordado e todos dormem,
Todos dormem, todos dormem...

2:55 AM

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home