Pessoas doidas, malucas e críticas! Sendo amigáveis, podem postar comentários!

10 agosto, 2007

Oi gente,

Primeiro, quanto à idéia do Parablind, ainda pretendo deixar meu podcast no estilo "penseira". Ou seja, como é o meu blog agora... E bem, o microfone que você deu se aposentou esse ano e deu lugar ao atual abafavox.

Java, seu paiaço, tava demorando pra aparecer, não acha não?... Mas não vou cobrar o ontem porque como eu falo na mp3... Como é que eu falei mesmo? Ah sim, sobre o hoje... Mas melhor mostrar! E valeu a participação!!!

Pré-P.S: Corrigido o essse!

Fui,
Doidus!

2 Comments:

Blogger Parablind said...

Doidus,

Embora você tenha falado que seria prepotência corrigir erros de ortografia no blog, já que seria uma coisa pública, eu não tô nem aí com a minha prepotência mesmo, então vamos lá: Esse com 3 S? 3? Essa realmente superou os meus erros! E pra você, uma vaia: Huuuuuuuuu!

Você fez milagre com aquele microfone, ou o que? Se aposentou esse ano? Ou melhor, essse ano? Durou bastante! O abafavox só é ruim porque na hora de fazer montagem com a voz, o áudio fica diferente e nóis tem que abafar o nosso também!
Vou ouvir o segundo pod e depois posto denovo.
Beijos!

12:14 PM

 
Blogger Parablind said...

Doidus,

Nada de carpe-dien, nada de viver só o hoje, o momento, sem planos, sem aprendizados nem outras preocupações.

O passado deve ser levado em conta, pois é ele quem traz nossas experiências positivas e negativas, o que molda nossa personalidade e que tanto nos ajuda a fazer nossas escolhas. Claro que isso também não pode ser extremo, mas também não podemos anular o valor de nosso passado.

O futuro também deve ser bastante considerado, pois preparar-se, planejar o próprio futuro, estabelecer metas, nos ajuda a melhorar sempre. Isso também não pode ser extremo: Não vou me matar de trabalhar toda a minha vida para enriquecer, porque quando e se isso acontecer, posso já estar velho e não aproveitarei de minha fortuna. Mas embora a vida seja uma sucessão de "ses", as escolhas são feitas, querendo ou não, através de comparações.

Se eu briguei de mais ou briguei de menos com um amigo, eu dei o meu melhor, mas as coisas aconteceram como aconteceram (positiva ou negativamente) porque nem tudo depende só de mim. Assim como eu não sou perfeito, as outras pessoas também não o são. Então, ao invés de pensar "se eu tivesse agido de tal forma", eu prefiro sentir mais e pensar menos, embora a razão tenha sua grande importância.

Essa resposta seria falada, mas não tive paciência pra criar uma conta no mypodcast.com e acho que vou usar o Plano Digital pra isso.

Adotarei o codinome "Insanus", embora a palavra Ânus esteja ambiguamente presente, mas não se trata de nenhuma referência ao reto ou terceiro olho, se preferir.

9:48 PM

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home