Pessoas doidas, malucas e críticas! Sendo amigáveis, podem postar comentários!

29 maio, 2007

Turma de Doidus,

Segura que vem mais crise:

Acho que o mal do ser humano é considerar que precisa conhecer o outro antes de saber o que
ele já é. Confesso cair nesse mal também, muitas vezes. Mas ainda assim sei, embora não
saiba como aplicar, o que é o correto:
Antes de uma faca cortar um pão ela precisa conhecer sua própria resistência para saber se ela
foi feita pra cortar pães ou só passar manteiga neles. Não adianta conhecer o outro se não se
tem estrutura nem pra si. Não falo que nosso comentarista não o tenha, mas falo que a
argumentação dele cai por terra quando se imagina uma pessoa por exemplo querendo fazer
psicologia, e tratar de outros indivíduos, sem saber dos problemas que ela própria tem! Quanto à
espécie humana, eu diria que ela está decaindo sim, e isso mesmo que se fizer a parte da
gente, o que cada dia está sendo mais difícil. Quantos aqui, num ato de bondade à natureza,
conseguiria ficar um ano inteiro sem computador, celular, televisão e outras coisas elétricas em
troca de diminuir o aquecimento global? Quem aqui, em um ato protetor, e até fraternal, cultivaria
uma planta nem que na janela, para que não só ele pudesse sentir o seu cheiro, ou tocá-la, ou
mesmo vê-la crescer, mas para que animaizinhos viéssem abrigar-se nela, como um beija-flor
vem rapidinho naqueles potinhos de água com açúcar que se costuma deixar (e que por não ser
algo natural pode fazer mal ao pássaro)?
Quanto à emoção, continuo defendendo o fato de tudo
que tem sangue ter emoção, ou como eu coloco, hemoção, de sangue. Uma coisa feita
puramente de instinto, não conseguiria fazer tão bem uma vida de algo que não é vivo
propriamente dito, como a luz solar, ou um bloco de terra onde ela se afirma. Existem pessoas
que afirmam que conversar com plantas não só as faz sentir bem, como também dá mais força
às nossas amigas imóveis porém bem mais sábias! Talvez se eu escrevesse teorias contrárias
às minhas, encontraria mais e mais falhas na espécie humana e aí sim me mandaria pro além
sem passagem de volta!

Frio no corpo porém reforçadamente sensível na alma,
Doidus!

12 Comments:

Blogger Parablind said...

bybo,

De que adianta a faca conhecer sua própria resistência se não conhecer a resistência do pão? Logo, os dois conhecimentos são importantíssimos, dando, logicamente, alguma ênfase ao auto-conhecimento, sim.

Sobre pessoas que fazem psicologia tentando ajudar aos outros e não se auto-conhecem, a nossa velha conhecida é uma pessoa desequilibrada. Vamos falar de pessoas normais, ou o mais perto disso, porque eu soube de coisas que você se negaria a acreditar, sobre tal pessoa. Não tenho nada contra ela, apenas, como você, aprendi a ter pena. Muita pena.

Sua decepção com o ser humano não é maior que a minha. Só que, talvez, eu tenha menos tempo pra pensar nisso tudo, por isso não dou tanta importância assim. Chega um momento que você começa a levar a vida meio que por acaso. Você tem uma bandeja cheia de copinhos de água, e no início, tenta equilibrar para não cair nada, enquanto caminha. Aí, por mais que você cuida, algumas gotas vão caindo, caindo, então você simplesmente continua caminhando do jeito que dá, crendo que nunca vai conseguir se equilibrar o suficiente. Você tem culpa pela queda das águas, mas também têm culpa o vento, o sol que evapora, e as pessoas que, propositadamente ou não, esbarram em você. Consegue compreender isso?

O que você sente em relação à amiga que não se faz tão presente, eu já senti várias vezes, por motivos vários, em relação à várias pessoas. Pela primeira vez você experimenta o gosto amargo disso, pelo que eu sinto muito. Mas talvez como fulga, prefiro acreditar que tudo isso seja necessário, como deve ter sido também pra mim.

Se você vivesse mais perto do que vive do preconceito, se tivesse que agir e reagir às várias situações diárias revestidas desse preconceito nojento... Se tivesse a consciência de que deve-se continuar lutando, mesmo sabendo que um palmo de conquista vem acompanhado de um quilômetro de fatores desilusórios, garanto que suas postagens seriam muitíssimo mais violentas.

Com tudo isso, quero expressar que acredito que você tenha menos motivos para não disceminar tanto amor...
Não, eu não abriria mão do meu computador, nem do micro-ondas, muito menos do meu aquecedor elétrico em face da diminuição do aquecimento global! Também não cultivo flores pois temo esquecer de aguá-las e, por conta disso, elas secarem... Sou um ser humano egoísta e apressado, mas isso ainda não é o suficiente para que eu desista de sempre tentar ser melhor.

A minha frieza é bem diferente daquela que você tenta aparentar. Continuo acreditando que vegetais não contam com a razão e o dicernimento para administrar sensações físicas e emocionais. Se tudo que tem sangue se emociona, o encanamento do meu prédio viveria chorando, soltando lágrimas pelas janelas...

Trecho da música Notícia, do skank:
A onda imensa bate e leva a casa que vivi
O vento é forte e fortes não são as cidades que ergui
Algum mal fiz pra tanta resposta má
Do sol, montanha, vento e mar
Existe um céu de mísseis e de escudos contra mim
Um céu de estrelas de cometas me chama
Eu vou pedir, pedir que eu possa prosseguir
Entre o sol, montanha, vento e mar

2:41 PM

 
Blogger Parablind said...

Dentro do foco do assunto, acabei entrando mais em questões pessoais e dicertando menos sobre vieses filosóficos e pontos de vista. Isso se deve ao meu exagerado senso prático e de poucas reflexões, pelo que pesso desculpas.

2:58 PM

 
Blogger Parablind said...

Só espero que a estudante de psicologia que ele se referiu, seja a mesma que eu pensei... Se não, já imaginou o tamanho da confusão??? No geral, estudantes de psicol são pessoas bem esclarecidas e observadoras, mas essa fugia totalmente a regra...

5:54 PM

 
Blogger Odonata Anisoptera said...

Todo tipo de conhecimento é válido; todo forma de emoção é válida; e de instintos tbm; o ser humano é um apanhado de coisas, o mundo é um apanhado de coisas...e elas são, estão, serão...estar contente ou não com isso é uma opção. Hipotetisar sobre tudo isso tbm é uma opção; divergir ou não tbm é. Lívre arbítrio. Abraços :)

5:55 PM

 
Blogger Parablind said...

Escuta aqui: Eu não sou COISA, tá? Sou o Diniz, uma pessoa humana! :( Buáááááááá! Num sou objeto não...

-

Falando sério, concordo em gênero, número e grau... Tudo é válido e a vida é linda!

5:57 PM

 
Blogger Odonata Anisoptera said...

"Pessoa humana"...redundante isso, né, hahahah...se bem q levando em conta q muitas pessoas são desumanas, essa redundância se faz bem aceitável, hehehe...abraço!

9:35 PM

 
Blogger splyt said...

Creio que todos nós já cometemos erros e fomos ou ainda seremos um dia totalmente injustos com alguém. Só conheço um homem que foi totalmente justo e, junto me parece com um enorme número de outras pessoas, tento seguir seus ensinamentos ... mas, e agora falo somente por mim, a cada dia que passa em que vou ficando mais conciente e tendo mais nossão das coisas da vida eu percebo melhor o quanto é difícil fazer isso ... O sistema está falido, as condições esternas e internas concorrem para que sejamos cada dia mais falhos e estamos em um caminho sem volta nem solução.
Depois de pensar muito e dialogar por incontáveis horas com o autor desse blog sobre todas as coisas que envolvem nossa espécie, e depois de por muito tempo ter me voltado aos problemas que nos afetam eu descobri que nenhum de nós tem força ou competência para solucionar nossos próprios problemas. Nós tentamos melhorar, tentamos ajudar os semelhantes, tentamos fazer um ambiente melhor para vivermos .. e falhamos, tem sempre sido assim ... e descobri Deus quando percebi que nós próprios não conseguimos e não conseguiremos sem a ajuda de alguém superior ter justiça e paz para todos.
Portanto Deus é a solução, e os tempos e sinais estão confirmando isso ... e quem me conhece sabe que não sou um religioso fanático ou preocupado com dogmas ou em demonstrar a todos em que eu acredito através de ações exibicionistas .. mas isso é sinseramente em que eu acredito.

3:27 PM

 
Blogger Fernando said...

Oi gente!!

Bom, vamos por partes: Sobre isso de querer conhecer demais o outro, sem antes conhecer a si mesmo, vejamos:
Todos nós temos, ainda como indivíduo, o direito de compartilhar ou não determinadas coisas com outras pessoas.. Contudo, todos nós, temos "quase o dever" de aproveitar enquanto estamos aqui, pra evoluír, crescer espiritualmente... E pra isso, precisamos, claro, nos conhecer um pouco mais, e como eu já dice num outro coment por aqui, tentar descobrir "de onde viemos, para onde vamos, quem somos, por que existimos", em fim.. Essas perguntinhas básicas..
O que ocorre é que, a partir do momento em que começarmos a realmente conseguir responder essas perguntas, começaremos também, além de nos conhecermos mais, a conhecer o outro, e aprenderemos a ter uma visão bem mais âmpla das mais diversas situações...
Por outro lado, saindo do âmbito espiritual, faço uma pergunta: Tudo bem que temos que pensar nagente se conhecer mais, descobrir até onde vão nossos limites, etc, etc, antes de pensar em conhecer o outro, mas.. Aí como ficam as amisades? Uma coisa superficial, que chega um momento agente não sabe como agir, o que falar, e tem medo de tudo por que não sabe como a pessoa vai reagir se fizer ou falar determinada coisa? Portanto, temos que equilibrar a balança aqui: Temos que nos preocupar em nosso auto-conhecimento; Mas temos, também, que não deixar de conhecer melhor as outras pessoas, dentro do possível, ou, do contrário, viveremos cheios de "amigos superficiais", com os quais não saberemos até onde podemos contar...
Acho que falei o que queria..

Abração!

Fernando

5:49 PM

 
Blogger Parablind said...

Fernando, fernando! Você disse exatamente tudo! Enquanto ficamos nessa de tentar nos auto-conhecer, tornamo-nos frios. Por isso, a questão do equilíbrio é vital! Lógico que temos que nos preocupar em conhecer a nós mesmos, mas também devemos mostrar ao outro quem a gente realmente é, de forma efetiva, integralmente. Só assim poderemos conhecer o outro e interagir. Acho que a palavra é essa, interação. E não há crescimento sem interação. Aliás, até pode haver crescimento sem interação, mas apenas um crescimento intelectual e quase nada prático...

Splyt, e Deus realmente é a fonte de tudo isso... Não só a fonte da criação, mas também do crescimento, do bem e do amor, sem demagogia. Também não sou religioso fanático e nem fico propagando a crença com garganta de um evangélico da Universal, por exemplo, mas acredito, sim, que Deus é quem pode reger nosso destino, acompanhado por nossas próprias escolhas...

Hugs from Ice Curitiba City,
Diniz

12:14 PM

 
Blogger Parablind said...

Passem no meu blog!
O blog do Diniz é o único blog com domínio próprio!

10:59 PM

 
Blogger Parablind said...

Este blog foi largado às traças

5:46 PM

 
Blogger simony said...

Oi !!!
bb
vc é show ...
sabe vc tem um dom de encanta as pessoas com seu jeito simples de ser
verdadeiro no que pensa eu fico feliz em poder fazer parte das tuas amizades ...Os verdadeiros amigos
chegam à nossa vida
em momentos especiais e,
aconteça o que acontecer,
permanecem sempre ao nosso lado.

*´¨)
¸.•´¸.•*´
(¸.•´><((((º>Beijocas Com AAAM♥R Da MØNY ®

3:59 AM

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home