Pessoas doidas, malucas e críticas! Sendo amigáveis, podem postar comentários!

24 maio, 2007

Fala turma!

Primeiramente, gostaria de agradecer aos únicos dois remanescentes dos comentários do meu
blog, afinal, esses provam na prática que lêem porque gostam e não porque eu divulgo.
Segundamente, vamos ao novo ataque:
Usando a estratégia do nosso comentarista paracego, eu afirmo que comento baseado principalmente em teorias sentidas e não de conhecimento e leitura. Falo estratégia do nosso
comentarista porque foi essa a argumentação que ele usou para evitar a leitura de coisas que
iriam contra sua crença filosófica-religiosa. E se a minha teoria merece a Sicuta, a dele merece a
fogueira! Onde é que já se aceitou invadir o espaço da gente e querer mandar? Que tipo mais
feio! Mas falando um pouco mais sério:
Se o ser humano é REI, ele também é escravo, e sem precisar definir com palavras para cada
letra. O tão sábio rei humano, de tanto querer explorar os recursos que o fazem rei, acaba
enlouquecendo sem dominar sequer um dos três. Veja o caso da Maria Louca, por exemplo.
Rainha, ditadora, responsável pela execução de Tiradentes, pra terminar onde? Deposta e
abandonada como louca! Será mesmo que o ser humano tem tanta vantagem assim por ter tanta coisa ao seu dispor? O seu pseudo-cérebro é corroído pelas próprias atrocidades que ele faz! E
por quê? Por ter demais, e usar de menos! A prova disso, é que o ser humano valoriza tanto o
ter, que ainda não descobriu metade do que tem na terra e já fica tentando conhecer outros
planetas... Racinha incompetente! Não tá vendo o destino que tá dando pra ele mesmo e pros
demais seres vivos? Morreria feliz sabendo que, se me sacrificasse, levaria todos os humanos e
deixaria todos os animais e plantas intactos aqui!!! E antes que eu me esqueça:
Nosso comentarista colocou que eu "preciso ler mais para fundamentar mais minhas teorias."
Então, isso ainda pode colocar nessa discussão a hipótese de eu melhorar a argumentação
naquilo que eu penso sobre os humanos e as plantas? Que ótimo! Vou ler só os artigos que me
apóiam e me entendem!

Agressivamente,
Doidus!

3 Comments:

Blogger Parablind said...

Bybo,

sobre remanescência, acho muito legal ter um blog. Eu só não tenho um, porque não teria o que colocar lá. Meus pensamentos são confusos e pouco fundamentados, então ficaria sem graça e meio monótono. Mas enquanto esse espaço existir, pretendo continuar perturbando, por aqui.

Primeiramente, acho que teoria não tem nada a ver com sentimento, por isso, falar em teoria sentida é o mesmo que falar em água dura ou silêncio ensurdecedor. Assim, entendo que é interessante sentir, mas mais interessante ainda, é aplicar o conhecimento ao que se sente, objetivando uma melhor compreenção do sentimento para melhor agir sobre ele. Por isso eu defendo a leitura e o conhecimento.

Mas que fique claro: Emoção e sentimento é muitíssimo mais importante do que razão, na minha opinião. Einstein escreveu que a imaginação é mais importante do que o conhecimento, porque a imaginação é dotada de sensações, criações serebrais a que nenhuma biblioteca é capaz de superar. E o que move a vida e o ser humano é justamente os sentimentos. Mas não podemos abandonar o conhecimento. As teorias são importantíssimas no crescimento e na evolução.

Eu não pretendi evitar a leitura de idéias contrárias às minhas. Quando sugeri que você lesse, não sugeri que lesse apenas textos defendendo o que ue escrevi, mas, caso encontre, leia também textos defendendo o seu pensamento. O conhecimento não ocorre lendo apenas uma linha de raciocínio. É preciso contrariar, comparar, e, principalmente, conhecer idéias opostas a fim de se chegar a algum lugar. Um bom exercício é tentar escrever um texto defendendo algo que somos contra. Isso é muito usado nas faculdades de direito, objetivando a boa formação de advogados corruptos e mersenários, mas não deixa de ser um bom treinamento para desenvolver uma boa argumentação.

Concordo com sua afirmação, de que o ser humano tem de mais e usa de menos. A perda de valores importantes, principalmente nos últimos tempos, éinegável. Hoje o ser humano é escravo, sim. Não de si mesmo, como alguns afirmam, mas do dinheiro, da tecnologia, da moda e, principalmente, das convenções sociais. Queria eu, ser escravo de mim mesmo, escravo das minhas vontades...

Só não poderia admitir a extinção da raça humana, como você defende. "Morreria feliz, sabendo que, se me sacrificasse, levaria todos os seres humanos". Não, não. Isso é exagero. Me atrevo até a afirmar que muita gente degrada o mundo e a própria espécie humana, por pensar como você, por não acreditar mais no ser. "Já que ninguém faz a sua parte, eu também não vou fazer a minha e só vou me preocupar com o meu próprio conforto". Vejo esse pensamento como comodista e pouco inteligente, porque é muito mais fácil conformar-se com a realidade, assumir não acreditar mais no ser humano e deixar de fazer sua parte para um mundo melhor, sem demagogia.

Disceminar bons valores, hoje, é extremamente difícil, até mesmo pela frieza das pessoas. Mas isso é a única, única coisa que se pode fazer para melhorar alguma coisa. As pessoas só mudam pela consciência. Não consigo deixar de acreditar nas boas características humanas. Mesmo que eu tentasse, não conseguiria. E nem quero conseguir.

Com um sorriso no rosto, em resposta à agressividade de Doidus,
Parablind

1:36 PM

 
Blogger Odonata Anisoptera said...

É...Einstein afirmou tbm que várias coisas q ele descobriu foram por insght, por um estalo e não pelo conhecimento e confrontamento de idéias...mais além, completanto o q nosso amigo diz, sugiro: mais importante q o conhecimento é o auto-conhecimento. Muitas atrocidades q ocorreram e ocorrem vêm de pessoas sem qqer senso de realidade e humanidade, diria q loucas, com distúrbios psicológicos...não coloco todos no mesmo saco, mas concordo q realmente a maioria delas fazem coisa q não deixam pensar o contrário...desumanidade dos humanos, é esse o termo aplicável. Quem se contrapõe à teoria deve dar o exemplo e disseminar "boas vibrações", hehehe. Abraço :)

11:39 PM

 
Blogger Parablind said...

E como diria Shakira: ESTOY AQUÍ!

Amiguinhos... Lógico que o sentir é mais importante que o conhecer; a emoção é mais importante que a razão. Mas não devemos anular o conhecimento e acreditar na bondade das plantinhas, que sequer tem o dicernimento do bem e do mal. Foi o que eu quiz dizer...

Disceminar boas vibrações, cara Odonata, é algo dificílimo. Aliás, completo dizendo que disceminar boas vibrações nas horas certas é algo difiscílimo, porque realmente é muito fácil espalhar o amor em uma roda de amigos. Quero ver alguém fazer isso no meio de uma discução séria, ou em resposta à uma ofença grave... É aí que está aquilo que chamam de provação divina, que eu prefiro chamar de bondade efetiva.

Mas o confronto de idéias é, sim, importante até mesmo para o auto conhecimento. Só posso me conhecer, se conhecer o outro. Saber quem eu sou, e saber quem eu quero ser, depois de saber quem eu NÃO quero ser. Aí tudo fica mais fácil.

Quanto ao bybo, prova do que estou dizendo é o seguinte: Uma das primeiras coisas que se aprende em lógica de programação é justamente a comparação.
IF A=B THEN EXPLODATUDO;

Por isso eu não quero ser árvore. Ao invés de regredir, prefiro tentar crescer e, se puder, me atrever a tentar fazer crescer outros da minha espécie. A MINHA RAÇA AINDA NÃO ESTÁ EM EXTINSÃO! AINDA NÃO!

1:53 PM

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home